NOSSO ENDEREÇO

Av. Anhanguera, 659 - JARDIM NOVO MUNDO - CEP 74705-015 - Goiânia-GO - Pr. Marcos Machado - Fone: (62) 3206-3506 email do blog:educristaibjnm@gmail.com - "SÓ O SENHOR É DEUS!"

23/07/2018

INEGÁVEL



Quando Jesus foi crucificado, foi um grande choque para Seus discípulos. Eles esperavam que Ele estabelecesse o Seu reino na terra. Em vez disso, Ele foi espancado e pendurado numa cruz romana. Eles escutaram com os próprios ouvidos as Suas palavras: "Está consumado". Então assistiram-no morrer diante de seus próprios olhos.

Pensaram que nunca mais O veriam novamente.

Mas quando Maria Madalena foi ao túmulo de manhã cedo, o túmulo estava vazio. Ela chamou por Pedro e João, que foram investigar, mas eles ainda não sabiam o que tinha ocorrido. Então o próprio Cristo apareceu a Maria, aos discípulos na sala do andar superior e aos discípulos com Tomé presente. Ele apareceu a Simão Pedro pessoalmente, aos dois discípulos na estrada para Emaús, e a 500 pessoas de uma só vez. Ele apareceu de novo para Pedro, Tiago e João no Mar da Galileia. Não havia como negar que Jesus estava vivo.

Ironicamente, parecia que os descrentes tinham mais fé em que Jesus fosse ressuscitar do que os crentes. Em Mateus 27:63-64, encontramos os descrentes dizendo a Pilatos: "Senhor, lembramos que, enquanto ainda estava vivo, aquele impostor disse: ‘Depois de três dias ressuscitarei’. Ordena, pois, que o sepulcro dele seja guardado até o terceiro dia".

Não é interessante que os descrentes às vezes tenham uma ideia melhor do que nós acerca daquilo em que devemos crer? Você já foi enquadrado por um não-cristão? Algum não-cristão alguma vez já lhe chamou a atenção para o fato de que você não estava agindo como um seguidor de Jesus?

Os descrentes criam que Jesus pudesse ressuscitar. Puseram um vigia em Seu túmulo. Mas Seus próprios seguidores não acreditaram. Entretanto, Ele estava vivo. Eles não puderam negar o que sabiam ser verdade. E isso transformou as suas vidas.
Transcrito de: Devocionais Diários05/02/17

03/01/2018

DOR EM PERSPECTIVA

"Que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações." (2 Coríntios 1:4)

O apóstolo Paulo sabia muito sobre sofrimento. Ele escreveu em 2 Coríntios 1:8-9, "Irmãos, não queremos que vocês desconheçam as tribulações que sofremos na província da Ásia, as quais foram muito além da nossa capacidade de suportar, a ponto de perdermos a esperança da própria vida. De fato, já tínhamos sobre nós a sentença de morte, para que não confiássemos em nós mesmos, mas em Deus, que ressuscita os mortos."

Que declaração sincera do apóstolo: "[...] perdermos a esperança da própria vida. De fato, já tínhamos sobre nós a sentença de morte, para que não confiássemos em nós mesmos, mas em Deus [...]."

Paulo também disse que devemos pegar o conforto que recebemos do Senhor e compartilhá-lo com os outros: "[Deus] que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações. Pois assim como os sofrimentos de Cristo transbordam sobre nós, também por meio de Cristo transborda a nossa consolação." (2 Coríntios 1: 4-5).

Acho que teríamos uma perspectiva diferente sobre a nossa dor se pudéssemos ver o que é dor real. Pode ser que você esteja lendo isso e esteja realmente sofrendo, mas acho que muitas vezes o nosso sofrimento não é tão ruim quanto pensamos que é. Precisamos de perspectiva.

Fui a hospitais inúmeras vezes para visitar pessoas que estavam morrendo - e o trabalho delas pregando para mim foi melhor do que o meu pregando para elas. Compartilharam o que o Senhor lhes estava mostrando através das Escrituras, como Ele as estava confortando e como Ele as estava fortalecendo. E sempre saí com uma nova perspectiva, porque essas pessoas acabaram me ajudando muito.

 Transcrito de Devocionais Diários - 29 Jan 2017 06:01

26/12/2017

O HUMILDE SALVADOR

"E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz!" (Filipenses 2:8)

Se você fosse Deus, você se sentiria tentado a realizar algum milagre para você mesmo? Eu me sentiria... Se eu fosse Jesus, ao invés de andar longas distâncias eu simplesmente diria: "Agora eu estarei naquele lugar", e assim seria.

Eu também não teria comido a comida que Jesus comeu. Afinal de contas, Deus é onisciente. Ele conhece o futuro. Ele sabe que o hambúrguer um dia iria existir. Ele sabe que toda essa comida “legal” que comemos hoje iria existir. Então eu teria enviado os discípulos para pescar, e enquanto isso degustaria um delicioso hambúrguer.

Mas Jesus nunca fez isso. Até mesmo quando ele estava morrendo de fome, durante a tentação no deserto, Ele não transformou uma pedra em pão conforme o Diabo havia sugerido que fizesse. Ele respondeu: “Está escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem’” (Lucas 4:4).

Jesus estava sempre pensando no próximo. Então o que poderíamos dizer sobre Ele quando Ele disse as palavras na cruz “Tenho sede” (João 19:28)? Este era o Criador do universo dizendo “Tenho sede”. Você acha que Jesus não poderia ter resolvido este problema? Você acha que Ele não poderia ter dito “água” e ela simplesmente apareceria? Sim! Jesus poderia ter feito as cataratas do Iguaçu aparecerem diante Dele, se assim desejasse. Mas, ao invés disso, Ele falou somente: “Tenho sede”.

Isso nos lembra que apesar de Jesus ser Deus, Ele também era homem. Nunca, por um momento, Ele desistiu de Sua divindade, embora Ele nem sempre exercesse as Suas habilidades milagrosas à vontade. Ele está envolto em Sua Glória. Ele sempre será Deus. Por isso Sua morte, e somente a Sua morte, é suficiente para cumprir a demanda do Pai por justiça.
Transcrito de: DEVOCIONAIS DIÁRIOS, 25 Jan 2017 06:01


12/11/2017

OBRA D'ELE, JEITO D'ELE, TEMPO D'ELE


"Ele fez tudo apropriado a seu tempo. Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade; mesmo assim este não consegue compreender inteiramente o que Deus fez". (Eclesiastes 3:11)

Algumas pessoas começam projetos com grande entusiasmo e depois nem sempre os concluem. Eu sou assim. Fico bem animado ao começar algo, mas às vezes perco o interesse. Por exemplo, quando cozinho, fico animado em aprontar a refeição e comer, mas depois não quero lavar a louça. Quando é hora de arrumar a garagem, faço três quartos do trabalho e então digo: "Mais tarde eu termino". E adivinha só? Nunca termino.

Você não fica feliz por Deus não ser assim? Imagine se Deus dissesse: "Sabe, eu amo você. Escolhi você. Quero transformar você em Minha imagem. Mas meio que me cansei de você.

Agora vou passar para outra coisa."

"Como? Espere! Não vai terminar?"

"Não. Vou passar para outra coisa. Achei alguém mais interessante que você."

Mas Deus termina o que Ele começa. As Escrituras dizem que Ele é "o autor e consumador da nossa fé" (Hebreus 12:2; grifo acrescentado). E Filipenses 1:6 diz: "Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus".

Mas eis algo de que temos de nos lembrar: Deus continua Sua obra a Seu modo e no Seu tempo. Como Eclesiastes 3:11 diz: "Ele fez tudo apropriado a seu tempo". Mas às vezes ficamos impacientes com Deus. Dizemos: "Senhor, termine!"

Ele vai terminar — pode confiar nisso. Mas, às vezes, se não enxergarmos progresso perceptível, acharemos que Deus perdeu interesse em nós ou que talvez tenha até nos abandonado. Precisamos lembrar que esse nunca é o caso. Ele vai completar o que começou.


 Transcrito de: Devocionais Diários, em  24 Jan 2017